Aris Ramírez Perde A Sua Posse Como Vereador De Sincelejo Por Uma Inabilidade

O Conselho de Estado decretou esta quinta-feira, quatrorze de junho a perda de posse de Aris Ramírez Junieles como vereador de Sincelejo, ao constatar uma decisão do Tribunal Administrativo de Sucre. 8 milhões e a ser executado pela escola do povoado Da Peñata, de Sincelejo.

Jiménez era, para a época do contrato, o representante fantástico desta corporação. O contrato iniciou em vinte e nove de abril de 2015 e acababou no dia 13 de maio deste mesmo ano, isto é, dentro do último ano anterior às eleições, que foram de vinte e cinco de outubro.

Essa situação, que foi denunciada pelo cidadão Miguel Medina Alandete, é proibida por Lei 617 de 2000, deste modo: “Artigo 43. Inabilidades. Saúde Drogas e Suprimentos SAS está hoje em liquidação e, como representantes legais aparecem um irmão do vereador, identificado como Stiven Ramírez Junieles, e Genila Marina Junieles Reator, segundo consta no Cadastro Único Empresarial (Rues). Essa entidade teve 12 sedes, oito delas no departamento de Sucre e o resto em Córdoba. A atividade econômica que se constituiu em nove de agosto de 2012 é a 4645 (comércio por grosso de produtos farmacêuticos, médicos, cosméticos e de higiene pessoal).

  • 4 Outras corporações 6.4.1 O Fundo Hondurenho de Investimento Social
  • 1 História 1.Um Etimologia
  • 5 Campanha eleitoral 5.1 Lemas de campanha
  • Em que observarão os alunos a aplicação da nova lei
  • 1 Inspeções da ONU antes da invasão
  • Primeiro vice-presidente da Câmara de Lisboa (1989 a 1991)

Enquanto as ações não estejam integradas, só poderão ser emitidos certificados provisórios nominativos. Cumprida a integração, os interessados poderão solicitar a entrega dos títulos definitivos ou no seu caso, o registo apropriado no Livro de Registo de Acções da população.

Até que se cumpra com o previsto no inciso anterior, o certificado provisório será negociável e divisível que represente mais de uma ação e confere os mesmos direitos que a ação. Artigo 299. (Endosso ou cessão de certificados provisórios).- O endosante ou cedente de um certificado provisório que não tenha concluído a integração das ações, responderá solidariamente por os pagamentos devidos na endosarios ou cessionários. O endosante ou cedente que faça algum pagamento, será co-proprietário das ações correspondentes pela proporção do pago.

Artigo 300. (Menções exigidas nos títulos de ações e os certificados provisórios).- O contrato social estabelecer as formalidades de títulos de ações e os certificados provisórios. Os certificados provisórios deverão marcar as integrações que se efectuem. As variações das menções anteriores, não obstante as relativas ao capital, deverão fazer constar dos títulos.